Escrito por Elton Melo
Categoria:

Somos criados por Deus com capacidades criar, progredir, desenvolver. Ele colocou dentro de nós a força e a capacidade que impulsiona o aperfeiçoamento da nossa própria vida! No entanto, tudo isso está condicionado a uma decisão pessoal: quero crescer, desenvolver alcançar algo, ou simplesmente quero parar por aqui. O projeto de vida é a trilha que você irá percorrer ao executar os diversos planejamentos que tem e terá. São as diretrizes básicas que determinam o rumo da sua vida. A interligação e a seqüência desses planos é que faz um projeto de vida ser bem sucedido ou não.

Não há tempo suficiente para que possamos fazer tudo o que temos vontade. A vida é feita de escolhas, no momento em que você faz uma escolha, está abrindo mão de todos os outros “futuros” pertencentes às opções recusadas. Portanto, de nada adianta planejar cada ação se não houver direcionamento, pois os resultados serão aleatórios dentro do contexto geral da vida. Quando se tem um projeto de vida, cada planejamento, por mais específico que seja, está relacionado às metas principais e gerais definidas nesse projeto.

A vantagem de um projeto de vida é que se evita o desperdício de tempo executando planos inúteis (do ponto de vista dos objetivos principais da pessoa) e que muitas vezes consomem grande quantidade de tempo, recursos e energia que poderiam estar sendo aplicados em algo mais significativo e relevante. Sem um projeto de vida, ainda se corre o risco de só identificar essa “inutilidade” do plano depois de já realizado.

Parafraseando Amyr Klink, “é muito triste passar a vida inteira cumprindo obrigações sem nunca ter construído nada de fato”. Essa é a realidade de milhões de pessoas ao redor do mundo que vivem insatisfeitas com suas vidas rotineiras e desinteressantes. Colocar um projeto de vida em prática exige coragem e determinação. Não é fácil quebrar a inércia e dizer “não” a certas obrigações para dar início a planos em que talvez ninguém mais acredite além de você. O exemplo de vida de Amyr Klink está sempre presente em meus textos, palestras e cursos. Ele realizou planos considerados irrealizáveis, malucos e sem sentido e sempre foi bem sucedido graças ao detalhamento e organização do planejamento. Ele é tão humano quanto qualquer um de nós. Se ele conseguiu colocar em prática e for bem sucedido em metas que a maioria de nós jamais pensaria em realizar devido aos riscos, complexidade, detalhamento e ousadia, nós também podemos planejar e executar nossos planos infinitamente mais simples e menos arriscados! 

- Você tem sonhos, mas acha que eles são ousados ou absurdos demais para serem realizados?

- Você se sente "fora do controle" de sua vida?

- Você define metas como as resoluções de ano novo, mas nunca consegue cumprir?

- Você vive num ambiente em que definir metas parece ser impossível?
 

Sabendo precisamente onde você quer chegar, você sabe onde concentrar seus esforços e para de dispersar sua atenção tentando agarrar qualquer oportunidade que aparece. Centrado em seu caminho, você passa a identificar mais facilmente as distrações que em outras condições o afastariam de seu rumo principal.

Apropriadamente definidas, metas podem ser extremamente motivadoras. A medida que você adquire o hábito de definir metas e as vai cumprindo, sua autoconfiança cresce e você se torna apto a realizar planos cada vez mais ousados.

Técnicas de definição de metas são utilizadas por atletas, executivos e pessoas bem sucedidas em todos os campos. Elas fornecem visão de longo prazo e motivação no curto prazo. Elas focam sua atenção, evitando desperdício de esforços, recursos, tempo e oportunidades.

"Não há vento favorável para quem não sabe em que porto quer chegar." Sêneca
 

Não deixe a vida te levar - escolha pra onde você quer ir. Com este manual você aprenderá como criar objetivos, definir metas e planejá-las estrategicamente. Não conte com o acaso, a sorte, o trabalho duro, o pensamento positivo. No ambiente competitivo, repleto de informações e estímulos do mundo em que vivemos, a melhor opção para ser bem sucedido é escolher as cartas e jogar o seu próprio jogo.

O projeto de vida é um plano traçado, um esquema vital que se encaixa na ordem das prioridades, valores e expectativas de uma pessoa que sonha com seu próprio destino e decide viver como quer. Este projeto de vida está vinculado de forma direta com a felicidade porque o que o coração humano deseja de verdade é gozar a vida de forma plena. Em essência, este projeto de vida inclui os planos que acrescentam bem-estar a uma pessoa que é consciente daquilo que quer e luta para conseguir.


O projeto de vida traçado previamente a nível teórico nem sempre se encaixa como um quebra-cabeça na ação prática, uma vez que a vida não pode ser controlada cem por cento. Porém é importante que a pessoa saiba o que realmente quer e o que a satisfaz. Do contrário, surge a insatisfação interior, o mal-estar e a tristeza de não aproveitar bem o tempo que se tem.
O importante é ter um projeto com objetivo, não importa se a data prevista for cumprida ou não, o fundamental é delinear um projeto pessoal porque isso envolve desafio, crescimento e um olhar para frente, algo que sempre traz benefícios para o desenvolvimento pessoal.
O projeto de vida é individual, no entanto, existem momentos em que o projeto de uma pessoa se cruza com o caminho da outra. Assim acontece, por exemplo, no caso do casamento. Quando dois projetos de vida não são compatíveis surge um problema difícil de conciliar. Isto é, se um dos dois quer casar na igreja e o outro não, se um quer ter filho e o outro não, quando se opta por estilo de vida mais materialista enquanto o outro tem valores mais espirituais, então, não existem pontos em comum e é difícil de encontrar uma forma para unir pessoas tão diferentes.
Porém quando ambos coincidem, há uma unidade no pensamento de projetar uma vida em comum: casar, comprar uma casa, ter filhos, etc. Neste sentido, o objetivo é ampliar o projeto de vida que se constrói com a outra pessoa, não de forma individual, mas de forma compartilhada.
Um projeto de vida é tão importante que até pode motivar uma crise pessoal numa pessoa que atinge uma determinada idade e percebe que ainda não alcançou o que havia sonhado e planejado. Então, é importante destacar que uma crise neste sentido pode ser boa porque marca um reajuste interno para poder tirar suas próprias conclusões e ajudar a mudar positivamente.
Vale lembrar que qualquer momento da vida é propício para cumprir os verdadeiros sonhos do coração e apostar na felicidade. Para definir um projeto de vida em curto prazo, é importante pensar aonde se quer chegar dentro de um ano e visualizar sua posição ideal. Muitas vezes, a aventura vale a pena.


Antes de saber o que projetar, é preciso saber as áreas a serem projetadas, pois pode não ser atingindo nenhum objetivo se as metas forem muito amplas.

As áreas a serem projetadas são:

Relacionamento

Como estão suas relações, o que tem gerado desconforto em sua casa? Você tem sido boa mãe, bom pai, corrigido, amado, sendo presença na vida de sua família ? O que pode ser feito para melhorar esses relacionamentos?

Você tem sido um bom filho para seus pais, deixando-os exercer o papel de pais e não querer ser os pais deles? Reflita e determine o que você precisa fazer para melhorar essas relações. Lembre-se de começar com metas pequenas, para não se frustrar no fim do ano, por não ter alcançado seus objetivos.

Por exemplo: Vou tirar 30 minutos do meu dia, que ainda é pouco, para brincar com meus filhos. Brincar é brincar mesmo, desligar-se de tudo, até do celular, e envolver-se na brincadeira com eles.

Vida profissional

Nessa área, a pergunta é: sou feliz e realizada no meu trabalho? Digo trabalho e não profissão, pois há pessoas que são formadas, possuem diploma, graduação, mas não exercem sua função. Isso não deve ser motivo de tristeza, pois o importante é reconhecer a realização naquilo que se propõe a fazer. Se você acha que está estagnado na profissão, questione-se. O que pode fazer para melhorar? Talvez um curso, novos lugares de atuação, até novos desafios como cadastros curriculares em outras instituições, lançar-se em um projeto novo, mudar de cidade se for preciso. Acreditar que é capaz de ser melhor naquilo que se propõe a fazer e se dedicar a isso!


Vida pessoal

Nesse ponto, o olhar deve voltar-se para você! É aqui que entram as dietas, academias, cuidados pessoais e realizações pessoais; e é aqui que mora o perigo, porque, todo ano, muitas pessoas falam que vão emagrecer e não conseguem! Onde está o erro? Não adianta ter o desejo e não se determinar.

Se você quer emagrecer, a primeira coisa que deve ser feita é responder a estas perguntas: Você quer emagrecer? Precisa emagrecer? Para quem quer emagrecer? Quais são os reais motivos? Seja honesto como você mesmo!

Coloque no projeto de vida os passos a serem percorridos para alcançar essa meta e cumpra-os! Vá a uma nutricionista e siga a dieta exatamente como for proposto; vá à academia todos os dias e não durma antes de ter feito a atividade física. Disciplina educa!

Vida financeira

Quais são seus problemas financeiros? Reconheça suas limitações financeiras e os bens materiais que deseja adquirir. Se deseja comprar um carro ou trocar o que já tem, abra uma poupança, deposite o máximo que for possível por mês, mas estabeleça uma meta real: 50, 100, 150 reais o que for possível. Seja fiel!

Agora, seu problema são as dívidas? Então, preciso rever os gastos e até mesmo o modo de vida. Pode ser que você viva uma vida que não é compatível ao que ganha. Então, é preciso um ajuste não só financeiro, mas também pessoal.

Talvez sozinho não seja possível vencer essa limitação, portanto, se for preciso, tenha a humildade de pedir ajuda. Não tema! Se preciso for, coloque em seu projeto financeiro a ideia de pedir ajuda a alguém de confiança e que domina essa área.

Espiritual

Como anda seu relacionamento com Deus? Quanto tempo você se dedica a estar com Ele? Converso com Deus? Escuto-O? Muitas pessoas reclamam que não escutam Deus, mas esquecem que para ouvi-Lo é preciso deixar que o Senhor fale. É preciso ter o Senhor como amigo, ser atento a Ele.

Proponha-se a encontrar um horário para estudar a Bíblia, rezar o terço, ir a Missa, jejuar e confessar conforme ensina a Igreja. Alimentar a vida espiritual dá ânimo e coragem para vencer todas as demais áreas da vida.

O grande segredo desse projeto de vida é monitorar mensalmente. A cada último dia do mês reveja suas metas, risque aquelas que você já alcançou, marque as que já fazem parte de sua rotina e estão sendo aprimoradas.

Tudo isto nos impulsiona a nos esforçarmos cada vez mais, para alcançar nossos objetivos. Reconhecer nossa evolução funciona como combustível nesta jornada da vida.
Tenha coragem! Avalie sua vida! O que precisa melhorar? Retome e caminhe. Deus será o seu sustento! Mas saiba que sem esforço não há vitória e Deus reconhece isso!


PROJETO DE VIDA: ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE UM PROJETO DE VIDA PESSOAL

Preliminares:

  1. Busque um lugar tranquilo e confortável, para você trabalhar cada exercício.
  2. Escute uma música, leia um poema, faça uma leitura bíblica... escolha sempre algo que o/a ajude a entrar em sintonia com seu projeto.
  3. Busque conversar com Deus sobre seus desejos e preocupações, peça discernimento nas escolhas a serem feitas e coragem.

1º EXERCÍCIO: COMPREENDENDO SUA HISTÓRIA

  • Faça levantamento breve do que você consegue lembrar de sua vida pessoal até hoje (onde nasceu, o que estava acontecendo na época no Brasil, quem são seus pais, história do seu nome, etc.);
  • Principais acontecimentos da vida em relação: à família, afetividade e sexualidade, escola, trabalho, Igreja, atuação pastoral, participação social e cultural. Pode-se organizar o relato por faixas etárias);
  • Descrever você com suas características e com as características indicadas por outras pessoas;
  • Hoje, quais são seus compromissos: o que faz? Por quer faz? Como faz? E o que sente?

2º EXERCÍCIO: OLHANDO A SITUAÇÃO ONDE VOCÊ VIVE

  • Descrever a situação local onde mora e destacar alguns aspectos: situação econômica, social, cultural, religiosa;
  • O mesmo exercício, porém onde trabalha e onde atua (emprego, pastoral, social, cultural);
  • O que sua realidade cotidiana exige de você?

3º EXERCÍCIO: SONHANDO UM NOVO MUNDO POSSÍVEL

  • Que qualidades deve ter uma pessoa? Quais as condições para se realizar como gente? Que projeto de humanidade você deseja ajudar a construir?
  • Como você imagina a sociedade ideal para todos viverem? Como poderia ser a escola, a saúde, a moradia? E a relação com o planeta? Como poderiam ser as relações de gênero? Que projeto de sociedade você sonha?
  • Em que você acredita? Quem é Deus para você? Quem é Jesus Cristo? Qual modelo de igreja você sonha?

4º EXERCÍCIO: REVENDO SUA ATUAÇÃO

  • O que lhe dá prazer nas coisas que realiza? (trabalho, estudo, lazer, serviços pastorais/ culturais ou sociais);
  • De que forma você desenvolve essas atividades? Como gostaria de desenvolvê-las?
  • Em quais atividades você gostaria de centrar suas energias? Roteiro para elaboração de projeto de vida pessoal

5º EXERCÍCIO: REVENDO SUA VIDA PESSOAL

  • Como anda a relação com você mesmo?
  • Como andam seus relacionamentos?
  • O que você faz que aproxima ou afasta as pessoas?
  • Construa uma rede de suas relações – coloque você no centro e as relações que você constrói: família, amigos, namoro, escola, trabalho, lazer, igreja, grupos culturais, etc... Quais são estas pessoas? O que elas pensam do mundo? O que elas pensam sobre sua atuação? Quem é (são) a(s) pessoa(s) que mais incentiva você?
  • Que influência essas pessoas têm sobre você?
  • O que deve mudar nestas relações?

6º EXERCÍCIO: REVENDO A SUA VIDA PROFISSIONAL E SOCIAL

  • Como você se sente em relação ao que faz profissionalmente?
  • O que você tem feito para capacitar e realizar profissionalmente?
  • Como você tem garantido as questões básicas de sua sobrevivência: moradia, saúde, cuidado com corpo, lazer...?
  • Que recursos (meios) você tem buscado para possibilitar esses direitos? Com quem você soma forças para conquistar estes direitos?

7º EXERCÍCIO: ASSUMINDO ALGUMAS DECISÕES

  • Que Decisões ou atitudes (ações concretas) você pretende tomar nos seguintes aspectos:
  1. Relacionamento familiar;
  2. Relacionamentos afetivos;
  3. Vida de estudo e preparação profissional;
  4. Vida eclesial ou pastoral;
  5. Vida no trabalho;
  6. Vida social, cultural e esportiva;
  7. Vida diária;
  8. Relacionamento consigo mesmo(a);
  9. Relacionamento com Deus.

8º EXERCÍCIO: ABRINDO CAMINHOS

  • Liste os recursos e pessoas que você poderá buscar para ajudara realizar o seu projeto.
  • Em que este exercício ajudou ou dificultou a sua reflexão sobre projeto de vida?

Um plano de vida de crescimento espiritual consiste simplesmente em programar as práticas da vida espiritual (oração, Comunhão, leituras, estudo…) de modo a garantir que sejam realizadas com ordem e constância. Esse plano tem dois aspectos:

1º) A definição do tipo de práticas espirituais que nos propomos a exercitar. Tanto o tipo quanto o número e a frequência dessas práticas não tem que ser o mesmo para todos: para uns, o plano consistirá em rezar algumas orações breves ao acordar e ao deitar e em ler diariamente o Evangelho, durante cinco ou dez minutos; para outros, além disso, o plano incluirá a Comunhão frequente e, diariamente, a meditação, o Terço, uma leitura formativa, o exame de consciência, etc. Dependerá das circunstâncias espirituais de cada pessoa.

Uma boa direção espiritual pessoal poderá aconselhá-lo sobre o tipo e o número de práticas que lhe convém em cada momento da vida, sobre a sua frequência e sobre a conveniência, lógica e natural, de ir aumentando-as um pouco, por um plano inclinado, à medida que a alma amadurece. Nesse aumento também não há regras fixas: cada alma é uma alma.

2º) O segundo aspecto consiste em definir, de modo claro e concreto, em que dia e em que momento do dia cada prática será cumprida, ou seja, definir um horário, que garanta que o plano não fique inutilmente só no desejo abstrato, mas seja um meio eficaz de formação e de crescimento espiritual.

Leia mais: Tudo o que você precisa saber sobre: a leitura espiritual

Monotonia e Amor

São interessantes, a esse respeito, as palavras da obra“Caminho” (São Josemaria Escrivá): “‘Sujeitar-se a um plano de vida, a um horário, é tão monótono!’, disseste-me. – E eu te respondi: há monotonia porque falta Amor” (n. 77).

1) A monotonia – “Fazer todos os dias as mesmas coisas é tão monótono!”, – é o que podemos pensar, – acaba tornando-se rotina, prática mecânica. Não seria melhor rezar, ler, comungar, buscar a Deus, só de vez em quando, nos momentos em que nos sentirmos mais dispostos, com mais condições de aproveitar esses meios, ou mais necessitados de Deus? Ledo engano! O problema da “monotonia” ou da “rotina” não procede da repetição, mas do vazio de amor do coração. Talvez se entenda melhor tomando como referência um fato real:

Uma boa senhora de família minha conhecida veio conversar comigo, para desabafar e pedir conselho. Nem tinha começado a falar, e já chorava. Quando lhe perguntei por que, respondeu: “Durante vinte anos, meu marido, todos os dias, ao sair de casa para o trabalho, se despedia de mim com um beijo. De dois meses para cá, ele sai sem nem avisar”. Andava mal aquele amor. Tão mal, que o drama da separação veio pouco depois. Havendo amor, a repetição da mesma prática diária não é rotineira. Isso é o que devemos procurar, e pedir a Deus: amor. “Mas… e se não sinto esse amor?”

2) Aí vem um segundo ponto. Será que amar a Deus é somente sentir? Quando uma mãe, fatigada e morta de sono, levanta três, quatro, cinco vezes à noite para amamentar ou acalmar o seu bebê, duvido que, naquele momento, sinta grande emoção ou alegria. Mas ela ama seu filho, e esse seu amor, – quer sinta, quer não sinta, em forma de emoção, – justifica todos os seus sacrifícios. O Amor pelas coisas divinas nem sempre é sinônimo de ter prazer, como quando sinto vontade de beber cerveja, e então bebo; e quando não sinto, não bebo.

O amor daquela mãe é mil vezes mais autêntico que o amor de uma mulher superficial, que logo pensa em separação quando nota que a convivência com o marido já não lhe dá prazer, não lhe traz satisfações. A esse falso amor, chama-se mais adequadamente “egoísmo”.

Ao ler estas palavras, algumas pessoas respondem: “Passou-me entusiasmo!”, assim me escrevem. – Mas você não deve trabalhar por entusiasmo, e sim por Amor; com consciência do dever, que é também abnegação. Isso também afirma o “Caminho” (n. 994). É isso o que faz a mãe do bebê chorão. E para Deus será menos? Não estaremos dispostos a dar-lhe o que daríamos a uma pessoa querida, sendo que, ao rezar, comungar, e outras práticas espirituais, na realidade é Ele quem nos ama e nos dá? É coisa muito santa lembrar que é sempre Ele quem se entrega a nós.

Amar é “querer”

Não caia, portanto, na cilada da falsa autenticidade. Amar é querer bem (o bem, o que é bom), custe o que custar. Por isso, cito novamente o livro “Caminho”: “Dizes que sim, que queres. – Está bem. -Mas queres como um avarento quer o seu ouro, como a mãe quer ao seu filho, como um ambicioso quer as honras, ou como um pobre sensual quer o seu prazer? – Não? Então não o queres”

Pense um pouco nos sacrifícios que é capaz de fazer, nos compromissos a que não falta de jeito nenhum, nas despesas que não mede aquele que quer mesmo ficar rico, ou ganhar uma posição política elevada, ou satisfazer um prazer que o traz alucinado… Então? Deus não merece mais?

Se medita nisso, compreenderá a grande importância de ter e seguir um plano de vida espiritual, definindo-o bem claramente, talvez até por escrito na sua agenda, e ficará precavido contra os “grandes inimigos” do plano de vida espiritual:

  1. a)O sentimentalismo egoísta e a autenticidade falsa, já mencionados;
  2. b)O engano perigosíssimo de quem diz a si mesmo: “agora, na hora prevista no plano para a oração, não vou fazer; faço depois”. Quase sempre, esse “depois” não existe. É muito melhor, quando se prevê dificuldade, fazê-lo antes, ou seja, adiantar uma prática, se você prevê que não a poderá cumprir no horário previsto. São Josemaria Escrivá dizia, meio brincando e muito a sério, que os grandes inimigos da alma são: “amanhã, depois, achei que, pensei que”… Quer dizer, as desculpas, que continuam sendo falsas desculpas por mais que queiramos justificá-las. Quase sempre, o momento em que Deus nos concede mais graça é precisamente o “mau momento”, aquela hora em que nos custa cumprir o nosso compromisso de fé e amor a Deus, e, mesmo assim, nós vencemos e o cumprimos;
  3. c)Também é um inimigo o desânimo de achar que não serve de nada cumprir fielmente o plano, ao vermos que, por mais que o cumpramos não melhoramos como pensávamos. Creio que basta outro ponto de “Caminho” para responder a isso: “Quantos anos comungando diariamente! Qualquer outro seria santo, – disseste-me, – e eu, sempre na mesma! -Meu filho, – respondi-te, – continua com a Comunhão diária e pensa: “que seria de mim se não tivesse comungado?”.

Se tiver oportunidade de ler a vida de Santa Teresa de Ávila, mulher admirável, forte, dinâmica e empreendedora, que era ao mesmo tempo uma alma mística, de elevadíssima oração, verá como a santa conta que as horas de oração que lhe trouxeram mais proveito espiritual foram aquelas (muitas!), em que se sentia incapaz de pensar e de sentir na Capela, mas perseverava nos seus horários de oração, entregando-se assim humildemente nas Mãos de Deus.

Escrito por Peter Amsterdam
Categoria:

O termo convivência, costuma remeter ao momento em que os cristãos se encontram para orar, adorar, cantar, ler a Bíblia, escutar a um sermão, conversar, comer ou de alguma forma espiritualmente edificante e fortalecedora interagirem entre si. São atividades importantes da convivência cristã, mas apenas parte de um conceito bíblico mais amplo com um significado mais profundo. Vamos discutir aqui esse conceito primeiro, para depois abordar a convivência enquanto disciplina espiritual, pois a compreensão do conceito nos permitirá construir uma percepção mais clara do sentido da disciplina da convivência.

Escrito por Elton Melo
Categoria:

neemias dia16 paviocurto

Pronto, agora o negócio endoidou de vez. O texto nos diz que os inimigos se iraram de vez. Quando o falatório e a intimidação não funcionam, o inimigo parte para o confronto. Igual a um cachorro vira-lata, ele começa a latir e rosnar mais alto. Fico imaginando a cena, já devia ter gente “babando”.

Escrito por Peter Amsterdam
Categoria:

Buscou a Deus... Enquanto buscou ao Senhor, Deus o fez prosperar.[1] - Quem deseja estar em forma fisicamente tem de comer, exercitar-se, empreender algum esforço e tempo para cultivar bons hábitos. Similarmente, quem busca crescimento espiritual — ou, poderíamos dizer, estar em forma espiritualmente — terá de investir em um regime espiritual.

Escrito por Elton Melo
Categoria:

neemias dia15 criticas

O grande “segredo” de Neemias foi saber responder os problemas conforme os valores do Reino de Deus. Na leitura destes versículos, vamos encontrar as seguintes ações do inimigo: desagrado, zombaria, desprezo, indignação, escarnecimento, depreciação, ridicularização, menosprezo, dúvidas e falsidades.